Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Chave Mestra

Chave Mestra

Abel Coelho de Morais e Diário de Notícias tentam fazer-nos engolir mentiras de que Partido Democrata não apoiou Hillary Clinton nas presidenciais e que Donald Trump teve muito mais dinheiro e apoio à sua disposição

Abel Coelho de Morais e Diário de Notícias te.pn

 

O Partido Democrata roubou a nomeação a Bernie Sanders e entregou-a a Hillary Clinton, como já foi comprovado não só pelos emails do Partido Democrara publicados pela Wikileaks mas também pelo estudo da Universidade de Stanford. Mas até Bernie Sanders apoiou publicamente a campanha de Hillary Clinton depois de ter sido roubado.

 

Hillary Clinton teve à sua disposição cerca de 2 mil milhões de dólares, toda a comunicação social corporativa (com a excepção de alguns programas da Fox News), toda a indústria do entretenimento, o Google, o Facebook, o Twitter, e quase toda a classe política ocidental e até oriental para a apoiá-la. As corporações que financiaram a sua campanha são as maiores e mais poderosas do mundo.

 

Por outro lado Donald Trump sofreu constantes ataques vindos de todos os que apoiaram Hillary Clinton, teve um financiamento de cerca de 300 milhões de dólares (10% do financiamento de Hillary) vindos em grande parte do seu próprio bolso, e teve o seu próprio partido (Republicano) contra ele até ao último dia, não só tentando impedir a sua nomeação e eleição, como a cortar-lhe acesso ao financiamento que o próprio angariou para o partido.

 

Mas o "jornalista" Abel Coelho de Morais tenta no seu artigo de dia 1 de Junho "Hillary critica direção dos democratas: "Não recebi nada do partido"" inverter a realidade ao não contrariar as declarações de Hillary Clinton com todos estes factos, numa clara intenção de nos fazer acreditar que Trump foi o candidato do sistema e que Hillary foi a candidata de fora do sistema quando a realidade é clara e contradiz todas as mentiras de Hillary não disputadas pelo "jornalista" Abel Coelho de Morais no seu artigo.

 

O "jornalista" abre caminho a Hillary para encontrar um bode-expiatório para a sua humilhante derrota.

 

Nada sobre o ex-director do FBI ter admitido que Hillary cometeu crimes ao enviar documentos do Estado, incluindo confidenciais, para o seu servidor privado mas mesmo assim escolheu não recomendar uma acusação.

 

Nada sobre Hillary ter chamado "deploráveis" a metade do povo americano.

 

Nada sobre Hillary, enquanto Secretária de Estado, ter permitido a ascensão do Estado Islâmico de modo a isolar o governo sírio e derrubá-lo, como já foi admitido pelo ex-Secretário de Estado John Kerry numa gravação obtida pelo blog Conservative Tree House, e como consta em documentos oficiais do Departamento de Estado e Defesa.

 

Nada sobre Hillary, enquanto Secretária de Estado, ter usado a NATO para assassinar o presidente Líbio e entregue a Líbia à Al-Qaeda e Estado Islâmico, rindo-se sobre este mesmo facto perante as câmaras da comunicação social.

 

Para Hillary quem elegeu Trump não foi o povo americano por o preferir a ele. Para Hillary quem elegeu Trump foi o governo russo através de ataques informáticos até hoje não comprovados. E o "jornalista" Abel Coelho de Morais não contraria Hillary em nenhum destes pontos apesar de esta informação estar disponível. Nem sequer refere o nome Seth Rich, o provável "ladrão" dos emails do Partido Democrata, já que todas as provas apontam para isso, e que destrói todas as teorias da conspiração baseadas em mentiras de que Trump é um agente russo.