Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Chave Mestra

Chave Mestra

Advogada russa que se encontrou com filho de Trump tem várias ligações com inimigos de Donald Trump - comunicação social ignora

Advogada russa que se encontrou com filho de Trump

 

A sua entrada nos EUA foi permitida pelo Departamento de Justiça de Obama em "circunstâncias extraordinárias" depois de ter sido rejeitado o visto de estadia na primeira tentativa, segundo a organização de notícias The Hill.

 

Essa permissão de estadia em "circunstâncias extraordinárias" já tinha passado de validade quando a advogada russa, Natalia Veselnitskaya,  que há já muitos anos deixou de trabalhar para o governo russo, se encontrou com um dos filhos de Donald Trump, Donald Jr. Trump.

 

A advogada terá prometido informações comprometedoras sobre a opositora de Trump nas eleições presidenciais, Hillary Clinton. Mas segundo o filho de Trump, não cumpriu com a promessa e apenas quis falar sobre leis de adopção. Algo que a própria confirmou à comunicação social.

 

8 dias depois de se encontrar com o filho de Trump, a advogada foi vista exactamente atrás do Embaixador dos EUA para a Rússia nomeado por Obama, Michael McFaul, durante uma audiência do Comité de Negócios Estrangeiros do Congresso americano.

 

A firma de advogados para a qual a advogada trabalha, Kramerton Consulting, tem um escritório em Moscovo mas não tem nenhum contacto disponível.

 

Em Janeiro deste ano, a advogada russa publicou no Facebook fotos supostamente tiradas por si no meio de um protesto anti-Trump financiado por George Soros, um assumido colaborador nazi (60 Minutos) e inimigo de Trump.

 

Nas suas publicações no Facebook constam também notícias que tentam criar uma má imagem de Donald Trump e uma boa imagem de Hillary Clinton.

 

Tudo isto são provas de ligações da advogada russa ao Partido Democrata e a outros inimigos de Trump que a comunicação social corporativa portuguesa se recusa a noticiar.

 

Mas as ligações da advogada a entidades anti-Trump não se ficam por aqui.

 

Em Dezembro de 2015, a advogada russa tinha também publicado no Facebook uma foto supostamente tirada por si dentro do gabinete do Senador John McCain, um dos maiores inimigos de Trump. A foto mostra o Senador ao lado de outro sujeito que a advogada não identifica na publicação.

 

O Senador John McCain é a mesma pessoa que enviou um dos seus acessores para a Rússia em busca de um dossier com informação comprometedora e falsa sobre Donald Trump depois de ter sido informado pelo ex-diplomata britânico próximo de Tony Blair, Sir Andrew Wood, da existência de tal dossier.

 

O dossier foi elaborado pelo ex-espião britânico Christopher Steele, dono da empresa Fusion GPS, empresa com a qual a advogada russa tem ligações

 

Uma na forma de tanto a advogada como a Fusion GPS terem trabalhado para uma empresa russa chamada Prevezon Holdings.

 

Outra na forma de lobbies dentro do governo americano para tentar influenciar leis de adopção, algo que tanto a advogada como a Fusion GPS fizeram no mesmo sentido.

Sabe-se agora que toda a informação contida nesse dossier da Fusion GPS é falsa.

 

No dia em que a notícia foi publicada que o ex-espião britânico Christopher Steele era o homem da Fusion GPS por detrás do dossier, este saiu apressadamente de casa e pediu a um vizinho, Mike Hopper, para tomar conta dos seus animais de estimação, segundo disse esse vizinho à agência France Presse (AFP).

 

Mas a única ligação que a comunicação social tem feito é a de que a advogada há muitos anos atrás trabalhou para o governo russo, numa tentativa desesperada de criar uma ligação entre Donald Trump e o governo russo na esperança de convencer o público que Trump é um agente russo e tem que ser retirado do cargo de presidente dos EUA.