Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Chave Mestra

Chave Mestra

Comunicação social ignora publicação de documentos pela Wikileaks que provam que serviços de informação americanos nos espiam a todos ilegalmente - maior revelação desde Edward Snowden

Comunicação social ignora publicação de docume

 

Vault 7 é o nome da nova tranche de documento oficiais dos serviços de informação americanos publicados pela Wikileaks. Apesar de esta ser sem dúvida uma das mais importantes notícias dos últimos tempos a comunicação social está a ignorá-la quase completamente.

 

Em 2012 o director da CIA, David Petraeus, disse publicamente que nos iria espiar pela nossa máquina de lavar, mas qualquer alegação que isso estivesse a acontecer era automaticamente ridicularizada pela comunicação social e por governos.

 

O director nacional dos serviços de informação americanos, James Clapper, disse ao Congresso americano em 2013 que a NSA (Agência de Segurança Nacional dos EUA) não estava a espiar os americanos. James Clapper já tinha sido responsável por mentir aos americanos e ao mundo quando disse que existiam provas que o Iraque tinha armas de destruição massiva em 2001, quando se encontrava à frente da agência americana responsável pela recolha de imagens satélite que foram prova determinante e cuja análise estava completamente errada, algo que não impediu que Clapper fosse promovido a chefe dos serviços de informação nacionais por Obama.

 

Os documentos publicados pela Wikileaks, Vault 7, são de novo prova que James Clapper não só é um mentiroso como um criminoso a vários níveis. Isto não tem impedido a comunicação social de recorrer a este sujeito para validar notícias como a mais recente de que, segundo Donald Trump, Obama terá autorizado escutas a este durante as presidenciais, algo que James Clapper disse numa recente entrevista não ter acontecido.

 

Estes documentos publicados pela Wikileaks provam de novo que existe um grupo dentro dos serviços de informação dos EUA que não responde perante os americanos e que encobre actividades criminosas recorrendo consistentemente ao mesmo método de encobrimento - não pode revelar fontes e métodos devido a razões de segurança nacional.

 

Os documentos provam que a CIA, ainda mais que a NSA, tem espiado qualquer pessoa que deseje espiar por todo o mundo através de qualquer aparelho electrónico com capacidade de ligação com ou sem fios, utilizando não só tecnologia avançada mas também armas informáticas como vírus e malware, e também explorando brechas nas capacidades de defesa dos programas informáticos utilizados pelos aparelhos electrónicos, brechas que são obrigados a reportar ao fabricante mas que em vez disso as têm explorado.

 

Um enorme arsenal de vírus, malware e outras armas informáticas têm sido utilizadas por empregados sem autorização para o fazer, tanto nos serviços de informação dos EUA como nas empresas privadas contratadas pelos serviços de informação. Incluindo nesse arsenal estão armas informáticas russas, que podem ser utilizadas para incriminar o governo russo.

 

Ao tomar controlo dos aparelhos electrónicos, as agências dos serviços de informação americanas e as empresas contratadas têm ainda a capacidade de manejar veículos como aviões e automóveis.