Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Chave Mestra

Chave Mestra

Diário de Notícias dá notícias não verificadas de que gás sarin foi utilizado em Idlib e tenta convencer-nos que único responsável possível pelo ataque é o governo sírio

Diário de Notícias dá notícias não verificada

 

Não existem provas que gás sarin foi utilizado no ataque químico em Idlib no dia 4, e imagens disponíveis mostram vítimas a serem ajudadas por pessoas sem protecção completa, o que no caso de um ataque de gás sarin iria matar também essas pessoas tal como imediatamente impossibilitá-las de ajudar as vítimas já que a mínima exposição ao químico sarin tem efeito incapacitante imediato.

 

Mas isso não impediu o Diário de Notícias de ter escrito ontem um artigo com o título "Bashar al-Assad diz que ataque químico foi "100% inventado"" onde diz que sarin foi o químico utilizado no ataque e onde tenta também, de maneira enganadora e manipuladora, fazer o público acreditar que o único cenário possível é de que o governo sírio atacou a população com gás sarin:

 

"Na versão do regime de Bashar al-Assad e da Rússia, a aviação síria atingiu um depósito de armas químicas da Frente Al-Nosra*. Este bombardeamento teria resultado numa libertação do gás sarin que matou dezenas de civis. As armas químicas pertenceriam, então, aos rebeldes sírios, últimos responsáveis pelo ataque.

 

Mas esta versão foi desmentida por Hamish de Bretton Gordon, um ex-comandante do regime britânico e perito em armas químicas, biológicas, radiológicas e nucleares. Bretton Gordon explicou que "se explodires sarin ele destrói-se", logo esta explicação seria "completamente insustentável e falsa"."

 

*A Frente Al-Nosra é a Al-Qaeda na Síria, mas o Diário de Notícias não se preocupa em explicar-nos isso.

 

Na sua tentativa de empurrar as culpas para cima do governo sírio, o Diário de Notícias deixa completamente de fora a hipótese de o gás ter sido outro, como por exemplo o cloro que é facilmente fabricado e já foi utilizado pelos terroristas inúmeras vezes, e a hipótese de o gás ter sido libertado por terroristas da Al-Qaeda, como também já foi provado ter acontecido inúmeras vezes, imediatamente a seguir ao bombardeamento do depósito de armas químicas da Al-Qaeda.

 

E esta é uma forte possibilidade já que um dia antes do ataque o jornalista Feras Karam do canal de notícias árabe Orient TV, publicou uma mensagem no Facebook dizendo "Amanhã iremos cobrir os ataques aéreos nos arredores de Hama incluindo a utilização de armas químicas contra civis.". Este jornalista tem ligações à Al-Qaeda segundo jornalista de investigação síria Mimi Al Laham.

 

Uma outra jornalista, Sarah Abdula, foi mais longe e identificou que cloro seria o gás químico a ser utilizado numa mensagem publicada no Twitter: "Amanhã iremos iniciar uma cobertura de ataques aéreos intensos nos arredores de Hama e a utilização de cloro contra civis.".

 

Isto nunca foi noticiado pela comunicação social, tal como outras provas que indicam que o governo sírio foi incriminado no ataque químico a civis de dia 4 em Idlib.