Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Chave Mestra

Chave Mestra

Donald Trump baixa os impostos a todos os americanos - comunicação social ignora e dá destaque a artigo "O dia em que Donald Trump ameaçou todos os países do mundo"

Donald Trump baixa os impostos a todos os american

 

Numa verdadeira manobra de manipulação dos portugueses, a comunicação social e a "jornalista" Joana Azevedo Viana do Expresso tentam impedir que o povo português saiba que Donald Trump conseguiu cumprir com a promessa histórica de baixar os impostos a todos os americanos enquanto ao mesmo tempo dão destaque a uma notícia que tenta pintar Donald Trump como um inimigo do mundo.

 

O artigo é da "jornalista" Joana Azevedo Viana do Expresso que já tem uma extensa lista de artigos de notícias anti-Trump recorrendo sempre a notícias mal contadas ou mesmo mentiras de forma a virar-nos contra Donald Trump.

 

A comunicação social em geral tem vindo a ignorar qualquer notícia positiva sobre o presidente dos EUA, especialmente as promessas eleitorais cumpridas, ao mesmo tempo que tem dado destaque a qualquer notícia que tente pintar o presidente dos EUA de uma maneira negativa. Mesmo que isso signifique ter de recorrer a mentiras ou informação selectiva (incluindo fontes que mais tarde se vêm a verificar serem falsas) como a "jornalista" Joana Azevedo do Expresso e outros seus colegas de profissão constantemente fazem.

 

Agora, no dia exactamente a seguir ao dia histórico em que Trump conseguiu convencer o Senado a baixar os impostos a todos os americanos, a comunicação social volta a tentar esconder de nós mais uma notícia positiva sobre Donald Trump ao mesmo tempo que nos tenta virar contra ele dizendo que "ameaçou todos os países do mundo".

 

O artigo com o título "O dia em que Donald Trump ameaçou todos os países do mundo" refere-se à notícia que a embaixadora dos EUA para as Nações Unidas disse que o presidente Trump e os EUA vão estar atentos à votação de hoje sobre o reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel (que neste momento é Telavive mas que os EUA querem que seja Jerusalém), especialmente ao voto daqueles países que recebem muitos milhões de dólares em ajuda dos EUA.

 

Algo que a comunicação social também tem escondido dos portugueses é que o reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel por parte dos EUA tem sido uma promessa não cumprida de todos os mais recentes presidentes dos EUA.