Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Chave Mestra

Chave Mestra

Lusa e jornalistas Joana Simões e Maria de Deus Rodrigues continuam a recorrer a organizações descredibilizadas como fontes para notícias da Síria

Lusa e jornalistas Joana Simões e Maria de Deus R

 

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos é dirigido por um sírio que mora em Inglaterra e que admitiu à RT em 2015 que não põe os pés na Síria há mais de 15 anos. Admitiu também que não tem contacto directo com as suas fontes na Síria, algumas nem conhece, e todas elas são-lhe recomendadas por terceiros que também não conhece.

 

Os Capacetes Brancos estão ligados, por vários fotos, vídeos e testemunhos, a grupos terroristas e a actos terroristas na Síria e são ou foram financiados por governos europeus e pelo governo americano. Muitos dos seus vídeos de vítimas de ataques químicos já foram provados terem sido encenados por actores por organizações como os Médicos Suecos para os Direitos Humanos.

 

No entanto as "jornalistas" Joana Simões e Maria de Deus Rodrigues da Agência Lusa continuam a recorrer a relatos destas duas organizações para nos dar notícias da guerra na Síria, como fizeram hoje nos seus artigos "'Capacetes Brancos' falam em mais de cem mortos no atentado - Síria" e "68 crianças entre os mortos do ataque em Alepo, na Síria – ONG".

 

Lusa e jornalistas Joana Simões e Maria de Deus R