Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Chave Mestra

Chave Mestra

Partido Democrata, Facebook, Twitter e comunicação social corporativa tentam tudo para abafar provas que Seth Rich, e não os russos, entregou emails do Partido Democrata à Wikileaks

Partido Democrata, Facebook, Twitter e comunicaç

 

O computador de Seth Rich, na posse da polícia de Washington D.C., contém segundo uma fonte do FBI provas em como o chefe de expansão de dados de eleitores do Partido Democrata, Seth Rich, e não os russos, entregou emails do partido expondo crimes, corrupção e más intenções para com o povo americano à Wikileaks há cerca de um ano atrás, comprometendo as aspirações do Partido Democrata de vencer as presidenciais americanas.

 

Uma das revelações desses emails é a de que o Partido Democrata, incluindo a chefe do partido Debbie Wasserman Schultz, conspirou para entregar a nomeação de candidata presidencial a Hillary Clinton mesmo que Bernie Sanders tivesse mais votos dos eleitores. Seth Rich era um admitido apoiante de Bernie Sanders. A publicação dos emails levaram à demissão de Debbie Wasserman Schultz mas não impediram a nomeação de Hillary Clinton ou o apoio de Bernie Sanders à sua nomeação.

 

Um vídeo gravado e publicado há mais de uma semana, mostra Debbie Wasserman Schultz a ameaçar publicamente o chefe de polícia de Washington D.C. de que irão haver consequências por este se recusar a entregar ao Partido Democrata o computador que Seth Rich escondeu dentro de uma parede, e que segundo uma fonte do FBI, contém provas de que Seth Rich, e não os russos, enviou os emails do Partido Democrata para a Wikileaks. A comunicação social corporativa tem ignorado por completo este vídeo.

 

O investigador privado e ex-detective de homicídios Rod Wheeler, contratado em Março deste ano pelos pais de Seth Rich para investigar o seu assassinato, disse recentemente ao canal de notícias Fox 5 que recebeu informação de um agente do FBI de que a informação contida no computador de Seth Rich, que prova como ele estava em contacto com a Wikileaks, foi obtida em menos de 4 dias depois do seu assassinato há quase uma ano atrás. O agente do FBI disse que Seth Rich tinha estado em contacto com o antigo director da Wikileaks Gavin MacFayden, que faleceu em Outubro de 2016.

 

Segundo o agente do FBI, Seth Rich enviou para Gavin MacFayden 44.043 emails e 17.761 anexos trocados entre líderes do Partido Democrata entre Janeiro de 2015 e Maio de 2016.

 

Segundo a organização de notícias World Net Daily, Rod Wheeler disse que a antiga chefe do Partido Democrata Donna Brazile ligou para a polícia de D.C. para saber quem era o investigador privado que andava a fazer perguntas sobre o homicídio de Seth Rich. De seguida Donna Brazile ligou ao pai de Seth Rich e consequentemente o investigador Rod Wheeler foi despedido pelos pais de Seth Rich.

 

Também segundo o investigador Rod Wheeler, Seth Rich estava a lidar com problemas relacionados com Donna Brazile dentro do Partido Democrata dias antes de ter sido assassinado. Esta notícia do World Net Daily não só tem sido ignorada pela comunicação social corporativa como tem sido alvo de censura por parte do Facebook e do Twitter.

 

Contactado pela World Net Daily, o dono do bar onde Seth Rich foi visto pela última vez na noite do seu assassinato disse que nem ele nem os seus empregados foram até hoje contactados pela polícia.

 

O investigador privado Rod Wheeler teve o seguinte para dizer à Fox 5:

 

"A minha investigação mostra que alguém dentro do governo de D.C., Partido Democrata ou equipa de Clinton está a bloquear o avanço da investigação do homicídio,"

"Tenho uma fonte dentro do departamento de polícia que me olhou nos olhos e disse, "Rod, foi-nos dito para nos afastar-mos do caso e não posso partilhar nenhuma informação contigo.""

 

O jornalista de investigação, especialista em finanças e economia e antigo agente dos serviços de informação americanos Jerome Corsi, diz que a polícia sabe quem são os assassinos de Seth Rich e está prestes a fazer mais revelações sobre o caso assim que tiver luz verde das suas fontes dentro da Casa Branca. Esta notícia foi dada pelo jornalista Alex Jones durante o episódio de dia 26 deste mês do seu programa de notícias "The Alex Jones Show" da Infowars, organização para a qual Jerome Corsi trabalha.

 

Mais informações que melhor descrevem o ponto de situação de Seth Rich dias antes do seu assassinato têm vindo a público nos últimos dias, mas têm também sido ignoradas pela comunicação social corporativa, tal como todos os outros desenvolvimentos relacionados com o seu assassinato e tentativa de encobrimento por parte do Partido Democrata e da comunicação social corporativa de novas provas que possam deitar por terra a conspiração de que foram os russos que penetraram os servidores do Partido Democrata para ajudar Trump.

 

As novas informações são as de que Seth Rich foi chamado para depôr como testemunha no caso dos servidores ilegais de Hillary Clinton poucos dias antes de ter sido assassinado, segundo disse Roger Stone à Infowars no dia 25 deste mês.

 

Roger Stone é um veterano operativo político e amigo pessoal de longa data de Donald Trump. Stone tem sido acusado pela comunicação social e pelo Partido Democrata de ser um agente russo, sem que qualquer prova tenha sido apresentada, e tem-se mostrado desde o início disponível para ser interrogado pelo Congresso, algo que ainda não aconteceu.

 

Em Dezembro Roger Stone foi vítima de uma tentativa de homicídio por envenenamento com polónio. Cerca de 3 meses mais tarde sofreu outra tentativa de homicídio quando se encontrava a viajar de carro ao ser atingido por um outro carro com vidros escuros e sem matrícula visível, que se pôs imediatamente em fuga.