Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Chave Mestra

Chave Mestra

Polícia de Berkeley volta a permitir que grupo terrorista ANTIFA inicie confrontos violentos e divisão social - George Soros volta a atacar EUA

Polícia de Berkley volta a permitir que grupo ter

 

Desta vez foi durante um evento de liberdade de expressão, algo que o grupo terrorista ANTIFA não aceita. A polícia voltou a permitir que elementos do grupo terrorista ANTIFA, todos eles com a cara tapada, provocassem os participantes do evento através de actos de violência. A provocação resultou em confrontos violentos entre cidadãos americanos dos dois lados, o que parece ser o objectivo principal do grupo terrorista ANTIFA.

 

Este grupo é financiado por George Soros, um multi-milionário e admitido colaborador Nazi (60 Minutos) responsável pelo financiamento de grupos que criam divisão social um pouco por todo o mundo, e que em várias ocasiões já resultou no derrube de governos, como mais recentemente na Ucrânia onde Soros admitiu à CNN que os seus grupos tiveram um papel importante nos acontecimentos.

 

A polícia de Berkeley, depois de ter permitido violência por parte do grupo terrorista ANTIFA em Fevereiro contra da palestra do jornalista Milo Yiannopoulos, voltou a ser parte central nos confrontos violentos de ontem ao permitir que o grupo terrorista ANTIFA provocasse , sem que uma atitude séria ou profissional tivesse sido adoptada para apreender os provocadores ou impedir os confrontos violentos que se seguiram.

 

Vários vídeos gravados no local durante os incidentes, disponíveis no youtube, mostram também como elementos do grupo terrorista ANTIFA são jovens que acreditam que os EUA, e todas as pessoas brancas, são racistas e responsáveis por todos os males do mundo.

 

Os vídeos mostram também como os professores universitários, que ensinam estes jovens a pensar desta maneira, estiveram presentes para supervisionar a operação de divisão social e justificar actos violentos contra pessoas com as quais não concordam ou contra pessoas que defendem a liberdade de expressão.