Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Chave Mestra

Chave Mestra

Presidente chinês contradiz todas a previsões da comunicação social de que Trump iria danificar relações com China - comunicação social forçada a admitir mas ao mesmo tempo tenta criar percepção de que Trump quer guerra com Coreia do Norte e Ch

Presidenteditador chinês contradiz toda.png

 

A Lusa foi obrigada a admitir no seu artigo de ontem "Coreia do Norte: China apela ao diálogo, Trump está preparado para agir" que afinal Trump não é o "bronco" ou o perigo que toda a comunicação social disse que era no que toca a relações diplomáticas.

 

O artigo da Lusa cita declarações do presidente/ditador chinês à televisão chinesa CCTV:

 

"O líder chinês considerou que a cimeira na Flórida teve “grande êxito” e assegurou que foram alcançados acordos “importantes”, assinalou a CCTV.

 

Um dos resultados da reunião foi o anúncio de um plano de ação de cem dias sobre o comércio entre EUA e China, as duas maiores economias do planeta."

 

O artigo também ignora propositadamente que logo após a recente reunião do presidente chinês com o presidente americano, a China, pela primeira vez, decidiu impôr sanções à Coreia do Norte devolvendo o carvão (principal fonte de rendimento da Coreia do Norte) no valor de centenas de milhões de dólares que tinha encomendado de forma a pressionar a Coreia do Norte em desistir da sua atitude militar agressiva para com o Japão, Coreia do Sul e EUA.

 

A Lusa não só encobre esta informação como decide utilizar o título "Coreia do Norte: China apela ao diálogo, Trump está preparado para agir" numa clara tentativa de manipular o público em acreditar que a China quer resolver a questão da Coreia do Norte com diplomacia e os EUA querem guerra, quando foi o presidente Trump que, ao fim de décadas, conseguiu que a China mete-se pressão sobre a Coreia do Norte de modo a evitar uma guerra nuclear.

 

Este artigo da Lusa foi depois publicado por várias outras organizações da comunicação social.