Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Chave Mestra

Chave Mestra

Secretário de Estado dos EUA mente para justificar ataque militar criminoso contra Síria

Secretário de Estado dos EUA mente para justifica

 

O Secretario de Estado americano, Rex Tillerson, disse ontem em declarações à imprensa em Itália que os EUA atacaram a Síria por esta ter armas químicas que podem cair nas mãos dos terroristas e que os terroristas as podem usar contra os EUA, o que faz da presença de armas químicas na Síria uma ameaça para a segurança nacional dos EUA.

 

O Secretário de Estado justificou assim a legitimidade do recente ataque contra o aeroporto militar sírio onde as armas químicas supostamente utilizadas no ataque de dia 4 em Idlib estavam armazenadas, e desde 2013 à espera de serem eliminadas como parte do acordo dos EUA com a Rússia para a eliminação de armas químicas do governo sírio.

 

Há anos que os terroristas na Síria têm na sua posse armas químicas que receberam dos EUA (retiradas ao governo da Líbia e afuniladas pela Turquia para a Síria), da Arábia Saudita (estado financiador de grupos terroristas islâmicos sunitas), e que eles próprios fabricaram ou roubaram ao governo sírio e iraquiano como já foi inúmeras vezes exposto pela própria comunicação social corporativa.

 

A comunicação social tem ignorado notícias de provas que indicam que o ataque químico de Idlib foi executado de modo a incriminar o governo sírio, e que, segundo fontes do jornalista Mike Cernovich, Donald Trump está a ser manipulado através de informação limitada fornecida pelo novo Conselheiro de Segurança Nacional H. R. McMaster em apoiar uma intervenção militar contra o governo sírio, algo que Trump prometeu não fazer durante as eleições presidenciais.