Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Chave Mestra

Chave Mestra

Pedro Filipe Pina e Notícias ao Minuto tentam criar a falsa percepção de que Trump não tem o apoio da CIA

Pedro Filipe Pina e Notícias ao Minuto tentam cri

 

Durante a sua visita à sede da CIA, a primeira visita como presidente dos EUA, Donald Trump foi recebido com enorme entusiasmo por 400 agentes e mais cerca de 700 que não conseguiram assistir ao vivo ao seu discurso devido à falta de espaço no auditório. No entanto a comunicação social não noticiou isto porque tem tido a clara intenção de criar a percepção de que Trump não tem o apoio da comunidade dos serviços de informação e da CIA em específico.

 

No seu artigo para o Notícias ao Minuto de dia 21 com o título ""Nunca pensei sair da CIA. Mas por causa de Trump demiti-me"", o "jornalista" Pedro Filipe Pina tenta fazer isso mesmo, noticiando que um agente da CIA se demitiu devido a Trump sem referir que a maioria dos agentes são apoiantes de Trump. Aliás, o "jornalista" Pedro Filipe Pina até menciona uma citação do agente Edward Price sobre a visita de Trump à CIA, mas neste caso para o criticar, dizendo que ""Ele parecia estar a falar para as câmaras” e não para os agentes, critica.".

 

O agente da CIA referenciado na notícia diz também que "A ‘gota final’ chegou com a retirada de figuras como o diretor da CIA do conselho de segurança nacional, ao mesmo tempo que o “campeão dos media para o nacionalismo branco” e seu conselheiro pessoal Stephen K. Bannon era incluído.".

 

No entanto o agente Edward Price não teve problemas em servir o director da CIA John Brennan, um conhecido extremista islâmico responsável por ordenar o treinamento, armamento (incluindo misseis capazes de abater aviões comercias), e apoio logístico de membros do Estado Islâmico e dos "rebeldes moderados" sírios, que já foi provado por vários militares, jornalistas independentes e políticos, como a congressista Tulsi Gabbard, que são aliados da Al-Qaeda e do Estado Islâmico.

 

Edward Price também não teve problemas em servir o presidente Obama que permitiu a ascensão do Estado Islâmico  com o objectivo de isolar o presidente sírio e obrigá-lo a deixar o cargo, como já foi provado não só por um documento do Departamento de Estado e Departamento da Defesa dos EUA, como pela gravação de uma reunião do Secretário de Estado John Kerry com a oposição síria em que diz o seguinte:

 

"Vimos que o Estado Islâmico estava a crescer em termos de força, e pensámos que Assad (presidente sírio) era uma ameaça. Pensámos, contudo, que podíamos provavelmente fazer com que Assad então negociasse, mas em vez de negociar conseguiu com que Putin o apoiasse."

 

Esta gravação tinha sido feita em Setembro de 2016 e enviada para o New York Times que publicou um artigo sobre a mesma nesse mês, mas escolheu não publicar a parte citada acima. A 3 de Janeiro deste ano a gravação foi publicada na sua totalidade pelo blog Conservative Tree House e a comunicação social ignorou-a completamente.

 

Edward Price diz também que foi capaz de trabalhar com administrações tanto do Partido Republicano como do Partido Democrata, mas que com Trump não. É sabido que apesar de Trump ser membro do Partido Republicano, o Partido Republicano é contra Trump porque sabe que Trump é contra todo o sistema corrupto do qual o Partido Republicano faz parte.

1 comentário

Comentar post